Pesquisar neste blogue

sábado, 8 de maio de 2010

Os Condes e Marqueses de Rio Maior

Conde e Marquês de Rio Maior

Os títulos nobiliárquicos (Títulos de Nobreza), foram criados inicialmente para estabelecer uma relação de vassalagem entre o titular e o monarca, mas depois do século XV começaram a ser usados como forma de agraciar os nobres por actos prestados à casa real ou ao país. Com o fim da monarquia foi extinta esta relação de governança e autoridade entre os titulares e outros nobres sob toda a população.

A relação de autoridade no sistema monárquico por ordem decrescente era:
1. Imperador
2. Rei
3. Regente
4. Príncipe Monarca
5. Príncipe Imperial
6. Príncipe Real
7. Grão-príncipe
8. Príncipe
9. Infante
10. Arquiduque
11. Grão-duque
12. Duque
13. Conde-duque
14. Marquês
15. Conde
16. Conde-barão
17. Visconde
18. Barão
19. Senhor
20. Baronete
21. Cavaleiro
22. Escudeiro

De referir que Morgado (já que vai aparecer em algumas partes deste artigo) não é um título nobiliárquico, mas um vínculo entre um pai e a sua descendência no qual os seus bens são transmitidos exclusivamente ao filho primogénito com o intuito de perpetuar os bens na linhagem da família. Os morgadios foram extintos em 19 de Maio de 1863 (Excepto o da casa de Bragança que só o foi em 1910) por D. Luis I pois provocava o empobrecimento dos filhos não primogénitos.

O título de Conde de Rio Maior está intimamente ligado á família Saldanha.
A família dos Saldanha já há muito que tinha relevo em Portugal, sendo que por exemplo João de Saldanha e Sousa, capitão de ordenanças, foi distinguido pelos seus serviços prestados durante as guerras da Restauração (1640-1667) o que permitiu a elevação de Azambujeira a sede de concelho.

Conde de Rio Maior foi um título instituído em 18 de Novembro de 1802 por D. João príncipe-regente em nome de sua mãe D. Maria I. Em 8 de Janeiro de 1803 este título foi confirmado por carta de lei em favor de João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa.
Lista dos condes de Rio Maior:
1º Conde - João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa Juzarte Figueira (N1746 - F1804)
2º Conde - António de Saldanha de Oliveira Juzarte e Sousa (N1776 - F1825)
3º Conde – João Maria de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (N1811 - F1876)
4º Conde - António José Luís de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (N1836 - F1891)
5º Conde - João de Saldanha de Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (N1878 – F1970)
Com a implementação da República, acabou o sistema nobiliárquico e tornou-se pretendente ao título João António de Saldanha Oliveira e Sousa.
6º Conde - João António de Saldanha Oliveira e Sousa (N1901 – F1972)
7º Conde - João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa (N1930)
8º Conde – João Neto de Saldanha Oliveira e Sousa (N1963)

Marquês de Rio Maior foi um título nobiliárquico instituído em 19 de Maio de 1886 pelo rei D. Luís I em favor de António José de Saldanha Oliveira e Sousa.
Lista dos Marqueses de Rio Maior:
1º Marquês - António José de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (4º Conde de Rio Maior)
2º Marquês - João de Saldanha de Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (5º Conde de Rio Maior)
Com a implementação da República, acabou o sistema nobiliárquico e tornou-se pretendente ao título João António de Saldanha Oliveira e Sousa.
3º Marquês - João António de Saldanha Oliveira e Sousa (6º Conde de Rio Maior)
4º Marquês - João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa (7º Conde de Rio Maior)

Resumo bibliográfico dos condes de Rio Maior:

1º Conde - João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa Juzarte Figueira (N1746 - F1804)
Pai – António Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa Juzarte Figueira (15º Morgado de Oliveira)
Mãe – Constança Maria Josefa de Portugal
Casamentos – Maria Amália de Carvalho e Daun (Filha dos 1ºs Marqueses de Pombal)
Filhos – 9 Filhas e 7 Filhos
16º Morgado de Oliveira. Comendador de Santa Maria de África. Comendador de cinco comendas da Ordem de Cristo. Grã-Cruz da Ordem de Cristo. Deputado da Junta Provisória do Erário Régio.

2º Conde - António de Saldanha de Oliveira Juzarte e Sousa (N1776 - F1825)
Pai - João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa Juzarte Figueira
Mãe - Maria Amália de Carvalho e Daun
Casamentos - D. Maria Leonor Ernestina de Carvalho Daun e Lorena (Filha dos 3ºs Marqueses de Pombal e 1ºs Condes da Redinha)
Filhos – 2 Filhas e 4 Filhos
17º Morgado de Oliveira. Pertenceu à câmara do rei D. João VI. Grõ Cruz das Ordens de S. Thiago e Conceição. Comendador da Ordem de Cristo. Embaixador extraordinário ao Brasil. Coronel do Regimento de Melícias dos Voluntários Reais de Lisboa. 

3º Conde – João Maria de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (N1811 - F1876)
Pai - António de Saldanha de Oliveira Juzarte e Sousa
Mãe - D. Maria Leonor Ernestina de Carvalho Daun e Lorena
Casamentos – D. Isabel de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos (Filha dos 1ºs Condes de Vila Real e dama da rainha D. Maria II)
Filhos – 1 Filha e 2 Filhos
18º Morgado de Oliveira. Iniciou carreira militar como alferes de lanceiros. Pertenceu à Câmara dos Pares, criada em 1826. Em 1954 foi Governador Civil de Coimbra. Em 1858 e 1859 foi Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. 

4º Conde - António José Luis de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (N1836 - F1891)
 Pai - João Maria de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e SousaMãe – Isabel Maria José de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos
Casamentos – Maria Isabel de Lemos e Roxas Carvalho e Meneses de Saint Léger (Filha dos marquezes da Bemposta-Subserra)
Filhos – não teve descendência
1º Marquês de Rio Maior.Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra. Oficial-maior da Casa Real (Mestre-sala). Par do Reino e deputado. Adido honorário da Legação em Paris. Provedor da Santa Casa da Misericórdia em Lisboa. Presidente da câmara Municipal de Lisboa. 

5º Conde - João de Saldanha de Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (N1878 – F1970)
Sobrinho do 4º Conde de Rio Maior.
Pai – José Luis de Saldanha Oliveira e Sousa
Mãe – Maria Bárbara Tavares de Almeida Proença
Casamentos – Maria Bárbara da Conceição Ferreira
Filhos – 1 Filha e 3 Filhos
2º Marquês de Rio Maior. 

6º Conde - João António de Saldanha Oliveira e Sousa (N1901 – F1972)
Pai - João de Saldanha de Oliveira Juzarte Figueira e Sousa (2º Marquês de Rio Maior)
Mãe – Bárbara Maria da Conceição Ferreira
Casamento – Luísa Maury
Filhos – 3 Filhos
3º Marquês de Rio Maior. Engenheiro cívil. Oficial da artilharia (Major). Presidente da Câmara Municipal de Oeiras. 

7º Conde - João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa (N1930)
Pai - João António de Saldanha Oliveira e Sousa (3º Marquês)
Casamento – Maria do Castelo da Costa Ferreira Neto
Mãe – Louise Maury
Filhos – 1 Filha e 3 Filhos
4º Marquês de Rio Maior. 3º Conde de Azinhaga
Reside na Azinhaga (Golegã) e trabalhou como Eng. Agrónomo. Trabalhou no fomento da fruticultura em Portugal.
Pode consultar uma entrevista a João Saldanha em:
http://www.youtube.com/watch?v=NBBUDxRn9CI 

8º Conde – João Neto de Saldanha Oliveira e Sousa (N1963)
Pai – João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa (4º Marquês de Rio Maior)
Mãe – Maria do Castelo da Costa Ferreira Neto
Casamento – Maria Isabel de Barros e Cunha Pereira Coutinho
Filhos – 2 Filhas e 1 Filho

Condessa de Rio Maior

Uma menção especial à condessa de Rio Maior, D. Isabel de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos que casou com o 3º Conde de Rio Maior. Era dama da rainha D. Maria lI e filha dos 1.os condes de Vila Real (D. José Luís de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos e D. Teresa Frederica Cristina de Sousa Holstein).
A condessa de Rio Maior foi uma senhora extremamente bondosa, incansável no trabalho em favor da beneficência em Lisboa, vendo-se sempre à frente de todas as instituições que tivessem o fim de proteger os pobres.
Foi a iniciadora e zelosa defensora das associações de assistência pública baseadas nas organizações paroquiais. Fundou escolas católicas para os dois sexos em diversas localidades. Obteve do governo a concessão do mosteiro das carmelitas da rua Formosa (actualmente rua do Século) e ali fundou um asilo para cegas, que foi inaugurado em 16 de Julho de 1878.
A condessa de Rio Maior veio a falecer em 23 de Abril de 1890.

Duque de Saldanha
Outro dos Saldanhas que teve relevo em Portugal foi João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha Oliveira e Daun que nasceu em 1790 e era o nono filho do 1º conde de Rio Maior.
O Duque de Saldanha foi um dos obreiros do fim do absolutismo em Portugal. Foi um militar e político brilhante. Lutou contra os exércitos de Napoleão durante a Guerra Peninsular. Exerceu cargos como o de Marechal do Exército e Primeiro Ministro, chegando a liderar quatro governos. Foi também um intelectual que escreveu sobre homeopatia e filosofia, sendo igualmente um diplomata que representou Portugal em Paris, Roma e Londres, cidade em que faleceu em 1876. Resumindo, o Duque de Saldanha influenciou os destinos de Portugal durante 50 anos. Foi o 1º Conde, Marquês e Duque de Saldanha.
Em Lisboa existe uma praça muito conhecida, a Praça Duque de Saldanha (Perto da Praça Marquês de Pombal) em que se pode admirar a estátua deste grande homem.


Em Santarém existe um edifício junto ao Mercado Municipal conhecido como Palácio dos Saldanhas ou casa brasonada. A primeira referência a este edifício é de 1532, localizando a casa de morada dos Saldanhas próxima do convento de S. Domingos. Em 1775 e devido ao terramoto, o solar teve de ter obras de beneficiação e a casa contava com um oratório, armazéns, cocheiras, forno de pão, palheiro e outras dependências. O edifício media em 1755, 80,6m de comprimento e 65m de largura. O solar voltou a ser recuperado na primeira metade do século XIX tomando a forma actual. Em 1911, o solar compunha-se de primeiro andar, lojas, celeiro, quintal, casa baixa de habitação e mais pertenças. Actualmente o piso térreo é ocupado por restauração, lojas e armazém. No piso superior existe um centro de enfermagem e escritórios.

Neste edifício que já foi pertença dos Saldanhas pode-se ver o brasão da família.

4 comentários:

  1. Sou de Azinhaga e gostei de tudo o que vi e li.
    Parabéns

    ResponderEliminar
  2. Como tenho raízes em Barcarena, e gosto de História esta informação foi muito útil para perceber a história da família, que também foram Senhores do Morgado de Barcarena.
    Obrigada pela publicação e pela ajuda.

    ResponderEliminar
  3. Como tenho raízes em Barcarena, e gosto de História esta informação foi muito útil para perceber a história da família, que também foram Senhores do Morgado de Barcarena.
    Obrigada pela publicação e pela ajuda.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelas palavras amigas que aqui deixaram.

    ResponderEliminar