Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Filme "Sal sem Mar" de 1960


Foi no Verão de 1959 que foi filmado o filme sonoro em película de 16mm, ‘Sal sem Mar’.
O filme teve realização de Fernando Duarte, fotografia de Feliciano Junior, som de Rui de Carvalho, assistentes de realização Manuel Magalhães, Humberto de Jesus Vicente e Amandio Videira Santos e música pela Orquesta e Coral do Círculo Cultural de Rio Maior (sob regência do maestro Herculano Rocha).
Foi nos laboratórios Ulyssea Filmes, Lda que o filme foi montado.
Os salineiros e habitantes da região das Marinhas do Sal é que foram os atores no filme.
Foi a 2 de Junho de 1960 que o filme foi estreado no Cinema Riomaiorense na 63ª sessão cultural do Cine-Clube de Rio Maior.
Esta película teve mais de uma centena de exibições que se realizaram em vários locais de Rio Maior e Santarém.
A película também passou em:
- 1977 na sessão do 25º aniversário do Cine-Clube de Rio maior.
- 1978 no 8º Festival Internacional de Cinema de Santarém.
- 1980 no 9º Festival do Algarve em Portimão.

O filme foi financiado pelo Fundo do Cinema Nacional, embora os grandes financiadores tivessem sido mesmo o realizador e o operador de imagem.

É pelo pedido de apoio ao Fundo do Cinema Nacional que se consegue saber algumas particularidades do filme. Estes documentos encontram-se na Torre do Tombo.

A 6 de Maio de 1959, Fernando Duarte, pede a concessão de um subsídio de 40.000$00 (199,42€) para a produção do filme de carácter experimental “Sal sem Mar”, em 16mm e a preto e branco.
Apreciado o pedido, o Concelho do Cinema resolveu autorizar a concessão de um subsídio de 20.000$00 (99,76€), a 16 de Julho de 1959.
Segundo o plano de trabalho a realização do filme ocorre entre Julho e Agosto de 1959.
A 31 de Julho de 1959 foi pedido o pagamento dos primeiros 50% do subsídio, o que foi concedido a 3 de Agosto de 1959.
A 27 de Junho foi entregue uma cópia do filme “O pequeno rio Maior” e do filme “Sal sem Mar” para visionamento no S.N.I. (Secretariado Nacional de Informação).
A 30 de Junho de 1960 foi pedido o pagamento dos últimos 50% do subsídio, o que foi concedido a 2 de Agosto de 1960. Dos 10.000$00 desta 2ª prestação, 4.500$00 foram entregues directamente à Ulyssea Filme Lda pois estavam ainda em dívida 5.425$10. Nesta altura, Fernando Duarte e Feliciano Junior tinham já contraído um empréstimo para poderem terminar o filme.

Apesar de extenso, penso que vale a pena referir a planificação cinematográfica do texto “Salgado de Rio Maior” de 1954 e autoria de João Ferreira da Silva que deu origem ao filme “Sal sem Mar”:

01 - Panorâmica – normal – A serra e as salinas 
02 - Conjunto – normal – As salinas
03 - Conjunto restrito – normal – Talhos, eiras e montes de sal
04 - Primeiro plano – normal – Poço e engrenagem da moto-bomba
05 - Pormenor – quase rápido – Água a sair do cano
06 - Plano americano – normal – Homem focado de costas descendo para o motor
07 - Primeiro plano – normal – Poço e engrenagem
08 - Pormenor – quase rápido – Água a sair do cano
09 - Primeiro plano – normal – Água correndo para a engrenagem de distribuição
10 - Pormenor – quase rápido – Água correndo pelas leiras
11 - Pormenor – quase rápido – Leira com água correndo
12 - Pormenor – quase rápido – Água correndo para um talho
13 - Conjunto restrito – normal – Talho recebendo água
14 - Pormenor – Quase rápido – Leira com água correndo
15 - Primeiro plano (ângulo plongée) – normal – Monte de sal e talho
16 - Conjunto restrito – normal – Talhos
17 - Primeiro plano (ângulo plongée) – rápido – monte de sal
18 - Conjunto – normal – Homem com rodo e cestos caminhando para o talho (avançando para a câmara)
19 - Plano americano – quase rápido – Homem olhando
20 - Meio plano (travelling) – normal – Salineiro avançando
21 - Pormenor – quase rápido – Solidificação
22 - Conjunto restrito – normal – Homem descalço entra no talho, abre a água e prepara-se para juntar o sal para a lavagem
23 - Primeiro plano – normal – Homem levando o sal
24 - Plano americano – quase rápido – Homem levando o sal
25 - Meio plano – quase rápido – Homem levando o sal
26 - Grande plano – normal – Rosto do homem suado
27 - Primeiro plano – rápido – Rodo passando pelo sal
28 - Primeiro plano – quase rápido – Homem juntando o sal
29 - Conjunto restrito – normal – Homem juntando o sal
30 - Primeiro plano – normal – Sal junto no meio do talho e homem enchendo as cestas
31 - Plano americano – normal – Homem com os cestos na mão e despejando o sal na eira
32 - Primeiro plano – rápido – Sal
33 - Primeiro plano – normal – Monte de sal
34 - Conjunto – normal – Homem afastando-se levando apetrechos de trabalho
35 - Pormenor – rápido – Folha de enxada penetrando o monte de sal
36 - Plano americano – quase rápido – Homem focado de costas, cavando o monte de sal
37 - Primeiro plano – normal – Fase do carreto: enchendo sacos
38 - Pormenor – quase rápido – Pá de madeira com sal
39 - Primeiro plano – normal – Saco cheio de sal e posto nas costas do homem que parte
40 - Conjunto – normal – Homem carregado caminha pelo carreiro
41 - Panorâmica – normal – Homem carregado saindo do carreiro e entrando numa das casas de madeira
43 - Plano americano – normal – Homem no interior despeja o saco e sai
44- Conjunto – normal – Câmara assente no solo foca rua de casas de madeira, vendo-se o homem a afastar-se e passando por outro que vem carregado com um saco de sal
45- Grande plano – normal – Rosto de homem
46 – Plano americano – normal – Mulher que chega junto ao homem com um cesto de almoço
47 – Primeiro plano – normal – Comendo
48 – Grande plano – normal – Rosto de mulher
49 – Primeiro plano – normal – Talho. Rodo abandonado no meio do sal lavado
50 – Grande plano – normal – Rostos de homem e de mulher olhando
51 – Panorâmica – normal – Salinas
52 – Grande conjunto – normal – salinas
53 – Conjunto – normal – Estrada com carro de bois avançando
54 – Conjunto – normal – Carros de bois em rua de casas de madeira recebendo sacos de sal
55 – Conjunto – quase rápido – Carros de bois (igual ao plano anterior)
56 – Primeiro plano – quase rápido – Folhas arrastadas pelo vento caindo na água de um talho
57 – Grande conjunto – lento – As salinas, a câmara subindo, foca a serra e o céu de nuvens escuras.


Esta obra ainda hoje é uma referência na cinematografia de Rio Maior.


Pode saber mais sobre Fernando Duarte em:
http://rio-maior-cidadania.blogspot.pt/2011/11/fernando-antonio-duarte-cinefilo.html
Pode saber mais sobre as salinas em:
http://rio-maior-cidadania.blogspot.de/2010/06/salinas-de-rio-maior.html

domingo, 22 de outubro de 2017

Oratório em Vale-Teira



Em Vale-Teira, Alcobertas,  existe este marco em forma de oratório em memória da passagem da imagem de Nossa Senhora da Conceição pela terra.
Mostra da devoção religiosa deste povo.

Gravado na pedra, pode-se ler:
Avé Maria 
Oferecido pelo povo de Vale-Teira recordando a passagem da imagem peregrina de Nossa Senhora da Conceição. 
A.D. 2000”.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Fonte do Pote em Arrouquelas


No passado dia 23 de Setembro, foram inaugurados os arranjos na zona envolvente à Fonte do Pote em Arrouquelas.
O antigo lavadouro público foi demolido e no seu lugar apareceu um espaço que torna o acesso à fonte mais fácil e convidativo.
Toda a zona foi revestida por calçada e o acesso a um pequeno ribeiro que passa nas traseiras levou um muro o que torna toda a área mais segura.Foram instalados bancos, uma bica de água potável e várias árvores e arbustos foram plantados.
Foi criado mais um ponto de interesse que é a simulação de um lavadouro por baixo de uma pérgula de madeira.
Sendo a Fonte do Pote uma fonte de mergulho a água para o lavadouro vem da bacia hidrográfica que existe por baixo dele e é puxada com um auxilio de uma bomba eléctrica.
Uma das curiosidades da fonte é que apesar da fonte possuir um cano que aparentemente serve para a água sair, por aí nunca passou nenhuma água, pois esta é uma fonte de mergulho.

No dia da inauguração que contou com a presença do Presidente da Junta de Freguesia e da Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, entre outros, houve uma recriação das antigas lavadouras.
Este é mais um espaço de lazer para ser usado pelos arrouquelenses e todos que aqui queiram vir.




 

Pode saber mais sobre o antigo lavadouro em:
http://rio-maior-cidadania.blogspot.pt/2011/10/lavadouro-publico-em-arrouquelas.html
Pode saber mais sobre a fonte do pote em:
http://rio-maior-cidadania.blogspot.pt/2010/02/fontes-de-arrouquelas.html

domingo, 1 de outubro de 2017

Resultados das Autárquicas 2017

Rio Maior votou e os resultados foram os seguintes:

Para a Câmara Municipal de Rio Maior
Para a Assembleia Municipal de Rio Maior
Para as diversas Juntas de Freguesia


Rio Maior esteve de parabéns pela participação cívica e democrática aqui ocorrida.
Resta dizer que a abstenção esteve nos 42,1%

Eleições Autárquicas 2017

O Voto é um direito e um dever cívico.

Votar é um ato de cidadania. 
Votar é um ato que permite aos cidadãos participar activamente na vida política do país escolhendo os seus representantes através das escolhas da maioria. 
Ao não votar estamos a deixar que os outros escolham o destino da nossa região sem termos uma palavra a dar. 
Vamos votar e escolher em consciência aqueles que pensamos poder servir melhor Rio Maior e as suas freguesias.