Pesquisar neste blogue

domingo, 24 de março de 2013

IV Bagatunaço e Tunas de Rio Maior


Decorreu em Rio Maior, nos passados dias 22 e 23 de Março o IV Bagatunaço (Festival de Tunas Masculinas da Cidade de Rio Maior), com organização da Bagatuna.
 
 
No dia 22, foi Noite de Serenatas, na Fonte dos Estudantes (Praça do Comércio).
No dia 23 foi o Festival, no Cineteatro de Rio Maior.
A concurso estavam as Tunas: TUALLE (Tuna Universitária Afonsina de Loulé), Estudantina de Braga, RTUB (Real Tuna Universitária de Bragança) e a Versus Tuna (Tuna Académica da Universidade do Algarve).
Extra concurso estavam as Tunas: Sal & Tuna (Tuna Feminina da Escola Superior de Desporto de Rio Maior), TUFES (Tuna Feminina Scalabitana) e a Tunassa (Tuna Feminina do Instituto Superior de Argonomia de Lisboa.
A organização foi da Bagatuna (Tuna Masculina da Escola Superior de Desporto de Rio Maior).
 
 
Uma tuna é um agrupamento musical, caracterizado por usar essencialmente instrumentos de corda. Pode ser de natureza popular ou estudantil e atualmente está em voga associar aos instrumentos o canto.
A origem destes agrupamentos encontra-se algures durante a segunda metade do século XIX, reproduzindo o ideário romântico dos antigos sopistas. Os sopistas que apareceram em Espanha com as primeiras universidades (século XIII), eram estudantes universitários sem recursos económicos e que rondavam os bares e as tabernas, trocando a sua música e simpatia, por um prato de sopa.
 
Atualmente, em Rio Maior temos duas tunas estudantis:
- Bagatuna – Tuna masculina da Escola Superior de Desporto de Rio Maior. Fundada em Novembro de 2003.

 
- Sal & Tuna – Tuna feminina da Escola Superior de Desporto de Rio Maior. Fundada em Outubro de 2006.

 
Em Rio Maior já existiu uma outra Tuna, embora de natureza popular.
Entre 1920 e 1935 existiu a Tuna Riomaiorense, dirigida por António da Conceição Duarte e posteriormente por Lucas Rosa.
A foto seguinte, retrata a época da fundação do agrupamento e pertence ao livro ‘História de Rio Maior’ de Fernando Duarte.


1 comentário:

  1. Uma correcção: os sopistas não tocavam a troco de música, porque nem sequer tocavam. Os sopistas nada têm a ver com música e muito menos com tunas.
    Recuperar o ideário dos sopistas é mais recuperar o cariz andariego dos estudantes.

    ResponderEliminar