Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Ricardo Tomás - Escultor

 
Ricardo Tomás, nasceu em Lisboa a 9 de Janeiro de 1968. É casado, tem um filho e mora em Ribeira de Santo André, Asseiceira.
Concluiu o Curso de Formação Profissional de Jovens na área de Serralharia na Companhia de Carris de Ferro de Lisboa (carris). Trabalhou durante mais de 10 anos como serralheiro na Estação da Pontinha (Carris) onde aprefeiçou a técnica de trabalhar o metal.
O gosto pela escultura surgiu e começou a executar obras com peças de sucata. A aceitação das suas obras foi grande o que o incentivou a aprofundar os seus conhecimentos nesta área.
Tirou o Curso Complementar de Artes Gráficas na Escola Secundária António Arroio, o Curso de Escultura em Pedra no Centro Internacional de Escultura de Pêro Pinheiro e frequentou o Curso de Desenho Livre do AR.CO..
Há cerca de 15 anos decide-se mudar para Asseiceira de modo a ter espaço para criar as suas esculturas. Aqui criou o ARTE (Atelier Ricardo Tomás Escultura).

 
Ricardo Tomás faz escultura em ferro e em pedra. Apesar da rudeza da matéria fria com que trabalha, consegue transmitir às suas esculturas os seus próprios valores de afeto, beleza, romantismo e tenacidade.
O referente concreto e constante na obra do escultor é o corpo feminino, que é o símbolo da vida e do futuro. É interessante recordar que os mais antigos objetos esculpidos (30.000 A.C.) representam também figuras femininas, conhecidas por Vénus e ligadas ao culto da fertilidade.

 
Com um realismo muito próprio, a obra de Ricardo Tomás tem um caráter único. O escultor procura a harmonia e o belo de modo a que as suas obras sirvam de inspiração e boa disposição para todos que com ela convivam.
 
O desenho surge para Ricardo, como um caminho para a obra, já que antes de começar a moldar a matéria-prima, existe muito trabalho preparatório necessário para que as suas ideias se possam refletir nas esculturas. As ideias é que interessam e é o que torna cada obra de arte única, já que a concretização é mais uma questão de técnica.

 
A arte era definida até há algumas décadas, como a expressão do belo, mas que implica imediatamente uma reflexão sobre o que é belo. Arte é contradição. O artista interpreta o mundo em que vive procurando o diferente onde a maioria das pessoas só consegue ver o igual.

 
Apesar da figura feminina ser uma constante, o artista também procura ter peças com um caráter mais simbólico, como se pode observar na figura em que a Pistola dispara Chaves que em vez de matarem, servem como elementos de abertura.

 
Ricardo Tomás, desde 1993 que mantém exposições quase consecutivas um pouco por todo o país. Várias galerias em Lisboa, Porto, Óbidos, Portalegre, Almada, Faro, Portimão, Barreiro, Parede, Leiria, Santarém, ... e claro em Rio Maior.
Atualmente em Rio Maior, podem apreciar-se as peças de arte numa exposição patente até ao dia 14 de Julho de 2012, no Cineteatro de Rio Maior, com o nome Ricardo’s em que Ricardo Tomás expõe esculturas e Ricardo Passos expõe pinturas.

 
A obra de Ricardo Tomás poderia ser apresentada em maiores dimensões e deveria ficar exposta em átrios, rotundas ou outros espaços de acesso públicos. As obras de arte colocadas no exterior não tornam apenas os espaços mais bonitos, mas são também um convite à reflexão e à democratização da própria arte.
O escultor já tem algumas ideias para uma obra de grandes dimensões ligada a Rio Maior que poderia ser aproveitada, acarinhada e patrocinada pela Câmara Municipal com a vantagem de apoiar um artista local.
Ideias e vontade de trabalhar não faltam ao Ricardo, pretendendo continuar a expor e a divulgar o seu trabalho. Não esconde a vontade de fazer uma escultura relacionada com Rio Maior.

Contactos de Ricardo Tomás
Telf: 965817439 – 243991047

Uma entrevista e video realizado pela Escola Superior de Artes e Design:
Uma entrevista em Bragança na Galeria História&Arte:

Pode visitar uma exposição em 360º fotografada por Manuel Teles, em:
Um video sobre a sua obra, em:

2 comentários:

  1. Para além disto tudo é um artista incansável expondo nos locais mais recondidos do nosso país e levando a sua arte a quem não tem acesso. Merecida esta chamada de atenção

    ResponderEliminar
  2. Acompanho bem a distância o trabalho do Ricardo. Minha impressão: vive com alegria os dilemas diários do artista.
    Muito bom poder conhecer um pouco mais da sua história e da sua obra.
    Parabéns.

    ResponderEliminar