Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Nelinho, pastor na Serra dos Candeeiros

Raúl Grabiel dos Santos Rodrigues, mais conhecido como Nelinho é casado e tem um filho.

Raúl é uma pessoa muito simpática e prestável, nasceu a 06 de Fevereiro 1971 e actualmente mora no repolho, São Sebastião embora a maior parte do tempo esteja a cuidar das 150 cabras (muitas delas prenhas) na Serra dos Candeeiros.
Ser pastor é um trabalho duro e solitário. Abrigos para a chuva são dificeis de encontrar no cimo da serra e para se protegerem do vento existem os chamados “abrigos de pastor” (pequenas paredes de pedra).
Nesta profissão é necessário saber prever o tempo, pois com muita chuva não se pode estar no topo da serra e com nevoeiro podem-se perder cabras. O conhecimento de cada recanto da serra também é essencial para se ser um bom pastor.
Os principais perigos de ser pastor na Serra dos Candeeiros são as víboras (víbora cornuda cujo veneno pode matar em 24h) e os escorpiões. Muito raramente aparecem raposas e os lobos já há muitos anos que não são vistos por esta região.

 
Raúl ao ser pastor está a abraçar o projecto de conservação da Gralha-de-bico-vermelho.

 
O projecto de “Conservação da Gralha-de-bico-vermelho na Serra dos Candeeiros” foi apresentado pela Quercus no âmbito do programa “Criar Bosques, Conservar a Biodiversidade 2008-2012”. A Cooperativa “Terra Chã” é um verdadeiro parceiro operacional do projecto no terreno e que tenta dar continuidade ao projecto após os cinco anos.
A actividade de pastorícia vem dar condições para que a gralha se possa alimentar. Estas aves geralmente alimentam-se no solo de insectos, mas também de sementes e bagas. Aqui o gado tem um factor importantíssimo pois limita os arbustos e as plantas infestantes que impedem o acesso ao solo (como o carrascal e o alecrim), mas também as suas fezes atraem insectos que são o alimento favorito da gralha.
As primeiras cabras (cerca de 60) chegaram a Chãos no final do mês de Março de 2009. Estas cabras serranas (Ecotipo Ribatejano) pastam numa área com cerca de 200 hectares na Serra dos Candeeiros. As zonas de pastagem são perto dos algares em que as aves nidificam.

 
A presença das cabras não cria somente condições para a Gralha-de-bico-vermelho se fixar aqui na Serra dos Candeeiros, mas permite também:
- Reduzir o número e extensão dos incêndios por reduzir a quantidade de biomassa existente.
- Vender queijos certificados com leite produzido pelo rebanho.
- Permite produzir mel de excelente qualidade por darem condições ao aparecimento de flores.
- Permite criar iniciativas como a “Rota dos Pastores” em que as pessoas podem participar e viver por um dia como um pastor, acompanhando o pastor e as suas cabras na sua rota e actividades.
- Permite o desenvolvimento do turismo.


Como já foi dito, o principal dinamizador deste projecto é a Cooperativa “Terra Chã” e pode saber mais sobre ela em:

Vou terminar o artigo, agradecendo ao Nelinho pela sua ajuda e por permitir-me elaborar este artigo. A pastorícia já foi uma actividade muito importante no Concelho de Rio Maior, deve-se assim trabalhar para dignificar a profissão de pastor.

Sem comentários:

Enviar um comentário