Pesquisar neste blogue

terça-feira, 17 de março de 2015

Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior

A Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior está desde 1759 ao serviço da população, em particular dos mais desfavorecidos.
Actualmente a Santa Casa está mais vocacionada para a acção social no apoio às crianças e a pessoas de grande dependência, não esquecendo no entanto o sector da saúde.
Na acção social tem as valências de creche, jardim de infância, pré-escola, ATL e lar para grandes dependentes.
Na saúde tem um Centro Médico, onde se realizam consultas e exames de diagnóstico e ainda um Centro de Fisioterapia.
Fica agora um pequeno resumo histórico desta instituição, começando pela fundação da Santa Casa em Portugal.
A fundação da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa remonta a 1498 por Frei Miguel Contreiras com o apoio da rainha D. Leonor, de quem era confessor.
A instituição surgiu a partir da remodelação da Confraria de Caridade Nossa Senhora da Piedade e passou a atender a população mais necessitada, com funções como a de alimentação dos famintos, assistir os enfermos, educar os enjeitados e mais tarde a prestar assistência aos recém-nascidos abandonados.
A Confraria da Misericórdia de Santarém remonta pelo menos ao ano de 1500 em que o rei D. Manuel I concedeu a 20 de Março de 1500 à Confraria vários alvarás. De notar que o Frei Miguel Contreiras era religioso da ordem ‘Trinos’ cujo primeiro convento em Santarém desta ordem foi fundado entre os anos 1499 e 1500.
Em Janeiro de 1759 os moradores de Rio Maior pediram ao rei D. José I a criação de uma Irmandade da Misericórdia para tomar conta do Hospício que havia na localidade.
A Misericórdia de Rio Maior foi assim criada no reinado de D. José I, por alvará de 18 de Abril de 1759. A Misericórdia de Rio Maior ficou obrigada a prestar contas ao Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Santarém. Na data da sua criação possuía a Igreja da Misericórdia, como capela privativa e que foi Igreja Matriz entre 1810 e 1968.
Em 1870 foi reconstruído o Hospital da Misericórdia, junto à Igreja da Misericórdia (no lado oposto à Casa Senhorial de D. Miguel). Este hospital foi fundado em 1619 e era administrado pela Misericórdia de Santarém para dar apoio aos enfermos a caminho das Caldas da Rainha. O Hospital era importante para Rio Maior principalmente desde a fundação do concelho (1836) pois a Câmara ocupou o antigo Hospício como edifício dos Paços do Concelho. Com as obras o hospital passou a poder acomodar até 30 enfermos.
A 11 de Junho de 1893 elaborou-se o Compromisso da Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior. Este compromisso foi aprovado em 13 de Julho de 1894 e editado nesse mesmo ano.
Em 1926 foi iniciada a construção do Hospital da Misericórdia de Rio Maior, projecto do engenheiro Mendonça. Esta obra ficou pronta em 1933 e foi inaugurada a 24 de Fevereiro de 1935. Para o hospital, o estado contribuiu em 1933 com 6.000$00 sendo no entanto este valor quase insignificante perante o esforço que toda a população efectuou.
A Câmara Municipal de Rio Maior sempre apoiou a Santa Casa da Misericórdia e sabe-se que pelo menos entre 1939 e 1944 que o apoio era no valor de 17.500$00 (cerca de 87,28€). Para além do apoio camarário, havia em 1944 cerca de 6.000$00 de rendimentos próprios e 3.500$00 da Direcção Geral de Assistência. Esses valores sabem-se porque o Hospital da Misericórdia atravessava em 1944 uma grande crise de angariação de fundos, correndo o risco de fechar portas.
Nos finais do ano de 1944, foi aplicada pela primeira vez a penicilina no Hospital da Misericórdia de Rio Maior.
Em Maio de 1945 o movimento do hospital era o seguinte:
                - Doentes que transitaram de Abril            15
                - Novos doentes                                             31
                - Doentes saídos com alta                            27
                - Falecimentos                                                2
                - Doentes que transitaram para Junho      17
                - Grandes cirurgias                                        11
                - Pequenas cirurgias                                      4
                - Tratamentos no banco                               347
                - Sessões de raios ultra-violetas                  45
                - Gelo para os doentes                                 62
                - Sopa dos pobres                                          992
A 29 de Julho de 1945 o Governador Civil de Santarém, Major Valente de Carvalho, presidiu ao lançamento da primeira pedra do pavilhão de isolamento para doenças infecto-contagiosas do hospital.
Em 1950 foi construída a capela anexa ao hospital que teve capelão durante o tempo em que o serviço de enfermagem era prestado pelas freiras. Nesta época foram também realizados outros anexos e aumentos como a cozinha e a sala de jantar.
Em 1980 é criado o lar de acamados da Santa Casa por João Afonso Calado da Maia.
Em 1991 iniciou actividade como Lar de Grandes Dependentes. Passa-se a chamar Lar Dr. Calado da Maia.
A 26 de Janeiro de 2002 é inaugurado o Centro Médico na Rua António Barata Bloco A, 1º. Este Centro Médico permite consultas de várias especialidades, como: Cardiologia, Cirurgia geral, Cirurgia Pediátrica, Dermatologia, Endocrinologia/Diabetes, Fisiatria, Gastrenterologia, Ginecologia, Obstetrícia, Medicina dentária, Clínica Geral, Neurologia, Nutricionismo Oftalmologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Pneumologia/Alergologia, Podologia, Psicologia, Psiquiatria, Doenças Nervosas, Reumatologia e Urologia.
Em 29 de Setembro de 2012 é inaugurado o novo Edifício de Fisioterapia. Este edifício foi apoiado com um subsídio de 300.000,00€ do Município de Rio Maior num total de 1.225.000,00€. Este novo edifício tem uma área de 740m2, desenho do arquitecto Acácio Jorge Simões e para além de albergar os serviços de fisioterapia, passou também a albergar os serviços administrativos da Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior. Na inauguração esteve presente entre outros o Bispo da Diocese de Santarém, D. Manuel Pelino Domingues e o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior, João Castro.
Em 29 de Setembro de 2012 também o edifício do antigo Hospital da Misericórdia passa-se a chamar Lar Dr. Calado Maia.
Esta é uma muito importante instituição que presta um serviço importante a toda a população com especial atenção aos mais desfavorecidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário