Pesquisar neste blogue

domingo, 27 de março de 2011

Cemitério de Azambujeira

O Cemitério da Freguesia de Azambujeira é bastante antigo.
Uma das últimas obras realizadas, que foi a realização do segundo alargamento, ocorreu entre 1989 e 1993.
Existe uma capela mortuária brasonada, datada de 1862. Este jazigo, pertenceu à família Campos que era proprietária das Quintas do Carvalhal.
O brasão consiste num escudo com os símbolos do leão, de uma torre e de faixas. O escudo está ladeado por cornucópias e por cima existe um elmo encimado por o que parece ser um leão.
Existem também várias campas bastante antigas como as duas da fotografia nas quais estão sepultados Amália da Conceição nascida em 1878 e Germano de Carvalho nascido em 1870.


Em 1954, quando ocorreram obras para alargamento do cemitério, demoliu-se o que restava da capela Mor da primitiva igreja de Azambujeira, construída em 1276 e dedicada a Santa Luzia. As pedras, cantarias e restos dos arcos, encontravam-se até à pouco tempo em paletes em frente da casa senhorial.

Como curiosidade, no caminho para o cemitério, havia um carrapiteiro sem espinhos. Esta planta foi arrancada para facilitar a construção de uma casa, mas o facto de não ter espinhos, era motivo de admiração e devoção pelas pessoas mais antigas que consideravam o feito, obra de um milagre. Para quem não saiba, carrapiteiro designa uma roseira brava (esta definição encontrei-a no Apostilas aos dicionários portugueses de A.R.Goncalvez Viana, de 1906, onde se pode ler que carrapiteiro «designa, no Riba-Tejo, a roseira brava»).


Sem comentários:

Enviar um comentário