Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Calcite Prismática na Serra dos Candeeiros



O Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros ocupa mais de dois terços do Maciço Calcário Estremenho, que é em Portugal a zona calcária mais importante.
Por esta razão não é de estranhar as muitas formações de calcite que se podem encontrar na Serra dos Candeeiros. Perto de um dos moinhos do Parque existem umas cavidades na rocha que estão forradas por formações prismáticas. Esta drusa de cristais de calcite em rocha carbonatada, forma um conjunto muito bonito, digno de se admirar.
Mais uma vez esta zona não possui qualquer tipo de protecção e estas formações de calcite são muito frágeis, verificando-se que a base das cavidades estão cobertas com pedaços que se soltaram das paredes e tectos.


Mas então como é formada a calcite?
A calcite é em termos químicos, carbonato de cálcio (CaCO3) e pode-se formar a partir de sedimentos quimícos, como iões de cálcio (Ca2+) e bicarbonato (HCO3-), segundo a seguinte reacção química:

Como se pode verificar pela forma, da reacção química resulta calcite mas também água e dióxido de carbono.
Devido ao aumento de temperatura da água, da diminuição da pressão atmosférica ou da agitação das águas, causa-se uma diminuição de dióxido de carbono na água obrigando a que o equilíbrio químico se desloque no sentido da formação da calcite.
Assim sendo, a forma prismática desta calcite pode ter resultado de correntes de água com ligeiras diferenças de temperatura.

Sem comentários:

Enviar um comentário