Pesquisar neste blogue

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ponte metálica sobre o rio Maior - Ponte de Freiria

Para quem vem de Azambujeira em direcção à Louriceira pela estrada EN114-2 passa por esta ponte de ferro, conhecida como Ponte de Freiria.
A ponte inaugurada a 27 de Abril de 1876, possui um vão com 42,7 metros, tem 4 metros de altura, viga treliçada e serve para passar o rio Maior. Nos pontões está gravada a data de 1935 com as letras ‘JAE’ (Junta Autónoma das Estradas). Mas esta data deve ter sido de alguma intervenção ocorrida à altura, já que a JAE foi criada em 1927. A ponte foi construída pela empresa francesa ‘Five Lille’ sobre a direcção do engenheiro Domingos da Apresentação Freire que também foi o autor do projecto. Na inauguração estiveram presentes mais de 4.000 pessoas, entre as quais o sr. Labille, representante da empresa Five Lille e os administradores e Câmaras Municipais de Rio Maior e do Cartaxo.


Os resguardos da ponte encontram-se um pouco danificados, mas numa intervenção recente, ocorrida em 2007, teve-se que corrigir a inclinação acentuada do pontão Nascente por meio de calços na estrutura metálica. Algumas das vigas laterais da ponte também foram reforçadas. O projecto de reabilitação desta ponte esteve a cargo da empresa CivilSer. Apesar da obra o traçado continua limitado a veículos com peso inferior a 20 toneladas.
Na seguinte imagem é bem visível a inclinação do pontão. Já durante a construção foi sentida uma grande dificuldade nas fundações dos encostos da ponte.
Esta obra de reabilitação não foi suficiente e a Estradas de Portugal lançou agora o concurso para requalificar a estrada EN114-2. Esta obra inclui a substituição desta ponte e a rectificação do traçado da EN114-2 desde o cruzamento com a estrada EN114 com uma extensão de 1,5 quilómetros. Este contrato público já saiu em Diário da República na edição nº218, série II de 10-11-2010.
Espero que esta velha ponte metálica fique numa situação de poder ser preservada e admirada.

Curioso é também o interior dos pontões que são ocos. Ninguém se deve de aventurar a entrar sozinho pois as cavidades duplas laterais têm uma profundidade entre 2,5m a 3,0m o que pode impedir os incautos de saírem depois de lá entrarem. Estas cavidades são abobadadas para melhor resistirem ao peso dos veículos que por lá passam e entre elas existe uma pequena abertura ao mesmo nível e com a mesma configuração da abertura de entrada.




Sem comentários:

Enviar um comentário